segunda-feira, 5 de dezembro de 2016

Comandante Geral da Polícia Militar do RN estoura e diz que seu limite está chegando


Em entrevista ao repórter Marcelo Lima da Tribuna do Norte o atual Comandante Geral da PMRN, Coronel Dancleiton Leite desabafa "É muito difícil de se comandar a PM" e deixou claro que "tudo tem limite" e que seu tempo à frente da instituição está bem "pertinho de se encerrar".
Segundo o Coronel Dancleiton o comando da polícia militar é uma atividade desgastante por natureza, "sou o comandante atual, mas é muito difícil de se comandar a PM devido a falta de recursos, de efetivo, são muitos problemas ao mesmo tempo. Tenho muitos colegas comandantes de polícia militar e a rotatividade está grande em todo canto.

A gente tem que saber preservar a saúde, a família. Chega um momento em que você tem que colocar na balança e dizer: vale a pena prosseguir mais um pouquinho ou passar para outro?...
...Aí você vai até o limite da dignidade, o limite da saúde, da honra, tudo tem um limite. Quando se chega ao limite você passa o bastão e a polícia continua...

...Estou aqui me esforçando para fazer o melhor possível pela a instituição, mas tem um momento que você se esgota."

Ao ser questionado se esse limite já chegou para ele o Comandante respondeu:

"Está bem pertinho [risos]. Estou sempre analisando. Boto sempre numa balança: não posso negociar minha paz, a saúde, a família e nem meu bem estar"

O Coronel confirmou ainda que haverá concurso para a PMRN e que o edital vai sair este mês e a previsão é que sejam ofertadas 1800 vagas sendo 120 para oficiais e em torno de 25 vagas para o quadro de saúde da PMRN, o restante serão vagas para soldados combatentes.

Declarou ainda o Coronel que a maior dificuldade encontrada em relação a crise vivida nesse ano foi o aporte da diária operacional: "No começo do ano a gente conseguia colocar 500 policiais a mais por dia em todo o Estado, hoje não temos mais... saímos de R$1,7 milhão por mês de diárias operacionais em fevereiro até chegar a R$ 50 mil em setembro...basicamente a gente está trabalhando só com o efetivo normal...

...O próprio policial deixou de ser voluntário para as operações, considerando que não tinha mais previsões de pagamento, estávamos com um atraso, em média, de 90 dias para pagar...

...Hoje temos por dia em torno de 20 a 30 homens de serviço extra, os próprios voluntários foram diminuindo porque eles tiravam o serviço e passavam 60 ou 90 dias para receber. Foi caindo em descrédito essa é a verdade".
Resta saber agora até onde chega o comando do Coronel Dancleiton à frente da PMRN e quem será o seu substituto quando o mesmo "passar o bastão".

Se isso acontecer será a 3ª mudança de comando só no governo de Robinson Farias e a segurança pública continua em estado caótico, o que prova que a culpa não pode recair apenas nos ombros dos comandantes. Já passou da hora de enxergar que a incompetência que gera a insegurança pública é de responsabilidade de autoridades que foram eleitas pelo povo, para cumprirem o que prometeram e até agora pouco ou nada fizeram.

Por Leandro de Souza
com informações de Marcelo Lima - Tribuna do Norte

Nenhum comentário:

Postar um comentário