sábado, 16 de setembro de 2017

Polícia diz que viúva raptada em velório ajudou assassinos do marido; suspeito é identificado

Homem que levou Gerina da Silva da funerária em Natal aparece em filmagens de uma câmera de segurança.
G1RN - A polícia identificou um dos homens suspeitos de raptar Gerina Ribeiro da Silva no dia 21 de abril passado, na Zona Leste de Natal. A mulher velava o corpo do ex-companheiro, assassinado três dias antes, no momento em que os criminosos invadiram a funerária e a levaram. A polícia acredita que ela está morta, e que ajudou um grupo de traficantes a assassinar o ex-marido.

O suspeito procurado, segundo a Polícia Civil, é Rony Emanuel Costa da Silva, de 22 anos, contra quem foi expedido um mandado de prisão preventiva. Rony foi identificado a partir das imagens de uma câmera de segurança da funerária.

Dias após raptar Gerina, o jovem foi detido sob suspeita de assaltar um policial em Potilândia, na Zona Sul da capital, ocasião em que foi feita uma fotografia dele. Porém, em seguida, foi liberado.

À época a Polícia Civil ainda não dispunha das imagens da câmera de segurança. Posteriormente, a comparação da foto com a filmagem permitiu que a polícia chegasse ao nome de Rony Emanuel como um dos autores do rapto, e agora ele está foragido.

A Divisão de Combate ao Crime Organizado (Deicor), que apura o caso, acredita que Gerina ajudou inimigos do ex-companheiro a encontrá-lo, para que ele fosse executado. Esse mesmo grupo de criminosos teria sumido com ela, e o motivo é queima de arquivo, já que, mesmo colaborando, Gerina da Silva presenciou o homicídio.

Nenhum comentário:

Postar um comentário