quinta-feira, 3 de setembro de 2015

'Mataram um inocente', diz viúva de homem linchado em Natal


Fonte: G1/RN
"Mataram um inocente. Ele era trabalhador, pai de cinco filhos, e não tinha nenhum vício. Sequer bebia". É assim que a empregada doméstica Isabel Cristina, de 40 anos, descreve o marido, o servente de pedreiro Aldecir Bezerra da Silva, de 38 anos. Apontado como estuprador, ele foi espancado por populares até a morte na noite desta quarta-feira (2) no bairro de Felipe Camarão, na Zona Oeste de Natal. O grupo usou pedras, pedaços de madeira e até um fogão no linchamento.

Em entrevista ao G1, a viúva afirmou que Aldecir sempre trabalhou. "Ele nasceu e foi criado na cidade de Bento Fernandes. Quando me conheceu, decidiu morar comigo em Natal e começou a trabalhar como servente de pedreiro. Temos um filho de 1 anos e seis meses que agora está sem pai", disse Isabel. Aldecir deixou outros quatro filhos de um primeiro casamento e, segundo a mulher, sempre pagou pensão alimentícia.

Emocionada, a viúva revelou que Aldecir não tinha antecedentes criminais. "Ele nunca se envolveu com nenhum tipo de crime. Não usava drogas e também não bebia. Meu marido era uma pessoa do bem. Eu acredito que ele foi confundido com alguém, com o estuprador", acrescentou.

O irmão da vítima, Aldeir Bezerra da Silva, também acredita que Aldecir foi confundido com outra pessoa. "Ele saiu de casa para fazer compras e não conseguiu chegar ao supermercado. As pessoas que mataram meu irmão levaram o dinheiro das compras", disse. "É injusto porque Aldecir era trabalhador e só queria saber de contar piada", lamentou.
O G1 entrou em contato com a Polícia Civil do Rio Grande do Norte, que informou que nenhum caso de estupro foi registrado nesta quarta-feira no bairro de Felipe Camarão. No sistema do Tribunal de Justiça, Aldecir também não figura como réu em nenhum processo.

Linchamento
Aldecir Bezerra da Silva foi linchado por volta das 19h30 desta quarta-feira (2) na Travessa Alicante, em Felipe Camarão, bairro da Zona Oeste de Natal. Segundo a Polícia Militar, o homem teria sido apontado como autor de um estupro de uma menina de 13 anos. As pessoas que o atacaram usaram pedras, pedaços de madeira e até um fogão durante o espancamento. Os responsáveis pelo linchamento ainda não foram identificados.

Nenhum comentário:

Postar um comentário