terça-feira, 18 de setembro de 2018

PF deflagra operações que apuram desvios de recursos públicos e corrupção em prefeituras do RN

G1 RN - Na investigação foi identificado que dois grupos distintos estavam atuando no RN. A quadrilha fraudava licitações para obras de engenharia e também para o serviço de transporte escolar.

A Polícia Federal deflagrou nesta terça-feira (18) as Operações Guaraíras e Titereiros, que têm como objetivo apurar fraudes em licitações, corrupção e desvios de recursos públicos em prefeituras do estado.

A investigação teve início há dois anos, através da denúncia de que um engenheiro civil, que já era condenado e processado pela Justiça Federal por fraudar licitações e desviar recursos, seguia praticando crimes. Na investigação foi identificado que dois grupos distintos estavam atuando no RN. A quadrilha fraudava licitações para obras de engenharia e também para o serviço de transporte escolar. Em consequência dos dois tipos de fraudes, houve a necessidade de desmembramento da apuração, por isso foram deflagradas as duas operações policiais simultâneas nesta terça-feira.

Cerca de 117 policiais federais estão cumprindo 33 mandados de busca e apreensão expedidos pela 14ª. Vara da Justiça Federal nas cidades de Natal, Parnamirim, Macaíba, Arez, Passagem, Pedra Grande, Lagoa D’anta, Campo Grande, Goianinha, Monte Alegre, Lagoa de Pedras e Currais Novos.

As diligências realizadas nesta terça-feira têm como objetivo reunir provas dos delitos praticados por membros de comissões de licitação, pregoeiros, empresários e secretários municipais, além de buscar apreender os valores desviados.

Os investigados responderão pelos crimes de fraude a licitação, peculato e corrupção.

Sobre os nomes das operações, a PF explicou que Guaraíras faz referência ao nome anterior de Arez, um dos municípios onde ocorreram os crimes. E Titereiro é aquele que movimenta títeres ou marionetes, e faz referência ao investigado que comanda cinco empresas em nome de “laranjas”, com as quais frauda licitações e desvia recursos públicos.

Nenhum comentário:

Postar um comentário