quarta-feira, 7 de agosto de 2019

Conheça a P2 de Tremembé, para onde Lula será transferido em SP; presídio foi criado após desativação do Carandiru

G1 - Penitenciária é conhecida por receber presos em casos de grande comoção social para garantir a segurança e a privacidade dos internos. Condenado na Lava Jato, Lula deve deixar a sede da PF 
A Penitenciária 2 de Tremembé, para onde o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) será transferido para cumprir pena, é conhecida por abrigar presos de casos de grande repercussão. Nela, cumprem penas detentos como Alexandre Nardoni, Cristian Cravinhos, Lindemberg Alves, Gil Rugai e Mizael Bispo (veja mapa da unidade abaixo). A unidade, no modelo atual, foi criada após desativação do Carandiru.

Conhecida como P2 de Tremembé, a Penitenciária Dr. José Augusto César Salgado costuma receber presos de casos de grande comoção social para garantir a segurança e a privacidade dos internos. A unidade tem capacidade para 408 presos entre o regime semiaberto e fechado, mas atualmente abriga 393.

Ainda não foi divulgada data para a transferência de Lula para a P2 de Tremembé. Apesar disso, é procedimento que os novos presos, caso de Lula, passem primeiro por um período de inclusão em uma cela chamada RO. No local, o preso fica em uma cela exclusiva e em isolamento por até 20 dias. O banho de sol também é separado dos demais detentos. Após o período, ele deve ser introduzido a uma cela.

A P2 de Tremembé é dividida em dois pavilhões de regime fechado e um alojamento para os presos do semiaberto. Além dessas áreas há uma ala especial construída há três meses pela Secretaria de Administração Penitenciária (SAP).

O espaço especial fica atrás da lavanderia e conta com nove celas de 12 metros quadrados. Elas contam com banheiro e lavanderia individuais e não têm grades nas portas e janelas. Quem ocupa essas celas toma banho de sol em área reservada de 16 metros quadrados.

O primeiro pavilhão aos detentos do regime fechado conta com 72 celas de duas camas e o segundo com 45 celas maiores com duas e quatro camas. As celas medem de 4 a 7,5 metros quadrados.

Nas de maior capacidade, o banheiro é apenas um buraco no chão, ao fundo do espaço. Já nas menores, há um banheiro separado com vaso sanitário. As quatro refeições diárias são feitas na própria cela e com horários determinados entre 6h e 17h30.

Mesmo no regime fechado, os presos podem trabalhar na unidade. Dentro da P2 funcionam fábricas de carteira e cadeiras escolares, fechaduras e de pastilhas desinfetantes para vaso sanitário.

Na P2 de Tremembé, os presos têm acesso a cursos de teatro e oficinas, como leitura e origami, e uma biblioteca equipada com mais de 7,5 mil títulos. As visitas na unidade são sempre aos sábados ou domingos - em alternância por pavilhão.

A unidade faz parte de um complexo prisional da Secretaria de Administração Penitenciária (SAP) que conta ainda com outras quatro unidades na cidade. São três penitenciárias e um centro de progressão. A P1 Feminina Santa Maria Eufrásia Pelletier abriga presas como Suzane Richthofen, Elize Matsunaga e Ana Carolina Jatobá.

Nenhum comentário:

Postar um comentário