quarta-feira, 29 de abril de 2020

Bolsonaro diz que investigação sobre facada que recebeu durante campanha eleitoral será 'reaberta'

Nesta terça-feira, 'Diário Oficial' publicou nomeação do novo diretor da Polícia Federal, amigo da família Bolsonaro. Investigação da PF concluiu que agressor Adélio Oliveira agiu sozinho.

O presidente Jair Bolsonaro afirmou nesta terça-feira (28) que a investigação sobre a facada que levou durante a campanha eleitoral, em setembro de 2018, em Juiz de Fora, será reaberta.

Bolsonaro deu a declaração durante conversa com apoiadores em frente ao Palácio da Alvorada. Nesta terça, o "Diário Oficial da União" publicou a nomeação do novo diretor-geral da Polícia Federal, Alexandre Ramagem, amigo dos filhos do presidente. Ramagem substituiu Maurício Valeixo, cuja demissão motivou a decisão do então ministro Sergio Moro (Justiça) de deixar o governo.

“Vai ser reaberta a investigação. Foi negligenciado. Foi a conclusão. Foi um lobo solitário. Como pode um lobo solitário com três advogados? Quatro celulares? Inclusive, andando pelo Brasil”, questionou o presidente.

A investigação da Polícia Federal sobre o atentado concluiu que Adélio Bispo de Oliveira, autor da facada, agiu sozinho no momento do crime e por motivação política. Bolsonaro sempre reclamou de não ter sido identificado o suposto mandante do atentado. Adélio Bispo foi considerado portador de doença mental e inimputável pela Justiça Federal em Minas Gerais. Bolsonaro não recorreu da decisão judicial.
G1