quinta-feira, 16 de abril de 2020

Cotado para substituir Mandetta, Teich chega a Brasília para reunião com Bolsonaro

Oncologista é tido como um dos principais nomes para assumir o Ministério da Saúde. Em artigos recentes, ele defendeu o isolamento horizontal contra o coronavírus, ao contrário do presidente.

Por G1 e Bom Dia Brasil — Brasília
O oncologista Nelson Teich, cotado para assumir o Ministério da Saúde no lugar do atual ministro, Luiz Henrique Mandetta, chegou a Brasília na manhã desta quinta-feira (16).

Ao desembarcar no aeroporto da cidade, ele não quis responder perguntas. Depois, se encontrou com o presidente Jair Bolsonaro no Palácio do Planalto.

Em meio à crise da pandemia do coronavírus, a relação entre Bolsonaro e Mandetta se desgastou. Uma das principais discordâncias entre o ministro e o presidente é sobre o isolamento da população como estratégia para conter o avanço do vírus.

Mandetta é favorável ao chamado isolamento horizontal (para todas as pessoas). Bolsonaro defende medidas mais brandas, como o isolamento vertical (apenas para aqueles do grupo de risco).

Em artigo recente sobre a pandemia, Teich se mostrou a favor do isolamento horizontal, como Mandetta.

"Diante da falta de informações detalhadas e completas do comportamento, da morbidade e da letalidade da Covid-19, e com a possibilidade do Sistema de Saúde não ser capaz de absorver a demanda crescente de pacientes, a opção pelo isolamento horizontal, onde toda a população que não executa atividades essenciais precisa seguir medidas de distanciamento social, é a melhor estratégia no momento", escreveu ele no dia 3 de abril.