terça-feira, 7 de abril de 2020

Segundo análise projetada pela Sesap estão previstas 10 mil mortes no RN por Covid-19

O comitê de análise da Secretaria de Estado de Saúde Pública (Sesap) apresentou na manhã desta terça-feira (7) os cenários possíveis para os próximos dias em relação à infecção por coronavírus. Entre os dados mais alarmantes está a previsão de 10 mil mortes no estado quando a doença atingir o pico de ação que, segundo informou a Sesap, deve ser em maio. Sem nenhuma ação esse número seria de 30 mil mortes.

Em um contexto de inação, em que não é feito nada para a conter a disseminação, até o dia 10 de abril, o estado estaria com 43 mortes. Com a ação de isolamento, o número deve chegar a 12 nessa data e um total de 904 casos confirmados. Até agora este número é de 254 com a doença e oito mortes confirmadas.

O primeiro caso foi notificado como suspeito no estado no dia 6 de março, e confirmado no dia 12. As escolas e Universidades foram fechadas. No dia 20, foram suspensas as atividades em bares e restaurantes e dia 23 a instituição do teletrabalho e a diminuição da frota. Segundo a análise, 90 mil pessoas foram tiradas de circulação. Com isso foram evitados 120 mil infectados no RN. Em um estado de inação – em que não há interferência para conter a doença – seriam 420 fatalidades a mais até agora.

Entre os critérios, a equipe levou em conta, os dados da disseminação do coronavírus. No mundo a média é que uma única pessoa infectada consegue transmitir a doença para outras três, porém no Brasil esse número seria maior, em torno de quatro. Cruzando este dado com a variante do tempo de 4 dias necessário para o coronavírus começar a se manifestar. Além disso, a proporção de disseminação, acontece ⅓ no ambiente familiar, ⅓ nas escolas e ⅓ na comunidade em geral. Nesse cenário e sem isolamento, em maio 60% da população estaria infectada e o número de mortos atingiria 30 mil. Até 31 de abril seriam 31 mil. No pico, em 6 de maio, o estado chegaria a um milhão de infectados e mais de 15 mil óbitos. Se nada for feito, o sistema pode entrar em colapso a partir do dia 2 de maio.

A projeção foi feita pelo um comitê técnico com dados da disseminação da doença no mundo, no Brasil e no estado do Rio Grande do Norte. Avaliação usou a metodologia da Escola de Londres e o modelo Mosaico instituído pelo Dr. José Dias. A análise levou em conta os últimos 30 dias contados a partir do primeiro caso constatado no Rio Grande do Norte, no dia 6 de março.

Expansão dos leitos

Atualmente o estado conta com 9.435 mil leitos de enfermaria e 1.108 UTIs entre as redes públicas e privadas. Com a expansão o estado chegará a 1.200 UTIs e 10.000 enfermarias.

Para mudar os números, a sociedade precisaria cumprir o isolamento. “O único remédio para conseguir tratar o COVID-19 é o isolamento”, disse Dr. Ricardo responsável pelos dados.

Hospital de campanha.

O Secretário da Sesap, Cipriano Maia, Informou que somente uma organização fez a inscrição para gerir o hospital de campanha na Arena das Dunas, no entanto, ela não possúi os respiradores, principal item exigido no edital. Ele informou que uma outra chamada pública será realizada com adequações para que outras entidades possam participar.

Foto: reprodução/instagram