domingo, 3 de maio de 2020

Bolsonaro volta a apoiar ato antidemocrático e diz que não vai mais 'admitir interferência'

G1 - Presidente também afirmou que 'daqui pra frente, não só exigiremos, faremos cumprir a Constituição'. Manifestantes levaram faixas pela intervenção militar e contra o Congresso e o STF.

O presidente Jair Bolsonaro participou, neste domingo (3), de mais um ato a favor do governo e de medidas antidemocráticas na Esplanada dos Ministérios, em Brasília.

Os manifestantes pediram intervenção militar e criticaram o presidente da Câmara, Rodrigo Maia (DEM-RJ), ministros do Supremo Tribunal Federal e o ex-ministro da Justiça e Segurança Pública, Sergio Moro – que acusa o presidente de tentar interferir politicamente na Polícia Federal para proteger familiares.

Em declaração transmitida por live em rede social, Bolsonaro afirmou: "Temos as Forças Armadas ao lado do povo, pela lei, pela ordem, pela democracia, pela liberdade".

"Nós queremos o melhor para o nosso país. Queremos a independência verdadeira dos três poderes, e não apenas uma letra da Constituição, não queremos isso. Chega de interferência. Não vamos admitir mais interferência. Acabou a paciência. Vamos levar esse Brasil para frente. Acredito no povo brasileiro e nós todos acreditamos no Brasil."

Ao final, o presidente disse: "Peço a Deus que não tenhamos problemas nessa semana. Porque chegamos no limite, não tem mais conversa. Daqui para frente, não só exigiremos, faremos cumprir a Constituição."

Sem máscara, Bolsonaro e apoiadores aglomerados estendem bandeirão do Brasil na rampa do Palácio do Planalto — Foto: Facebook/Reprodução