quarta-feira, 12 de maio de 2021

Golpe do Instagram e WhatsApp: entenda como funciona e saiba como se proteger

Foto: Divulgação
Provavelmente você conhece alguém que teve seu número de WhatsApp invadido por criminosos que se passavam pelo proprietário da conta para pedir dinheiro aos seus contatos. Esse golpe não é novo e se renovam a cada dia as formas com que os criminosos encontram para ter acesso ao telefone das vítimas. Uma nova estratégia para o golpe vem sendo observada entre empresários que possuem os perfis das suas empresas “clonados” no Instagram para chamar a atenção dos usuários e coletar suas informações.

Os golpistas criam um perfil novo com uma pequena diferença no nome em relação ao original, mas utilizam as mesmas fotos para fingir ser a conta oficial da empresa. A partir daí, começam a enviar mensagens privadas para os seguidores oferecendo brindes ou alegando que o cliente ganhou um sorteio. Para receber o prêmio, basta informar um número de WhatsApp.

Quando conseguem, eles enviam um código de segurança por SMS e pedem que a pessoa o informe. É aí que a conta no aplicativo de mensagens é clonada e eles passam a pedir dinheiro aos contatos da vítima.

Como se proteger do golpe?

Existem dois pontos principais que devem ser cuidados, neste caso, conforme orienta o coordenador de pós-graduação em Engenharia de Software da Estácio, Prof. Dr. André Felipe da Silva Guedes.

“Primeiramente, a pessoa deve verificar se o perfil do Instagram com que ela está interagindo é um perfil oficial da marca em questão. Para isso, ela pode confirmar no site oficial da empresa, por exemplo. Outro ponto, é que jamais a pessoa deve compartilhar o seu código de segurança, pois é justamente ele que protege o usuário contra golpes dessa espécie”, explica.

6 dicas para realizar navegações seguras nas redes sociais:

1) Nunca clique em links desconhecidos, pois eles podem ter vírus, causar danos e expor seus dados.

2) Sempre cheque a fonte de seus posts antes de sair compartilhando e clicando em tudo que aparece na tela dos seus dispositivos.

3) Tenha atenção redobrada nas redes sociais de mensagens instantâneas (Whatsapp, Instagram, Telegram). É uma boa prática acrescentar soluções de segurança no celular anti phishing, como a ativação de autenticação em dois fatores.

4) Utilize sempre senhas fortes incluindo letras maiúsculas, minúsculas, números e caracteres especiais, habituando-se em trocar de senha a cada 30 dias.

5) Avalie a configuração de privacidade, optando por um perfil privado e só mostre o que você realmente quer para as pessoas com esta permissão.

6) Tenha o cuidado de não clicar em links compartilhados desconhecidos. Se houver dúvida sobre a veracidade do link, recomendo o uso do site www.psafe.com/dfndr-lab/pt-br/, nele você pode facilmente descobrir se o link que recebeu é seguro ou não.

“Hoje é natural as empresas surgirem conectadas em diferentes redes sociais, objetivando sensibilizar e fidelizar as pessoas a sua marca ou produto. É nesta hora que precisamos ficar atentos para não cair em golpes online praticados por cibercriminosos. Proteger informações e seus dados com segurança ao navegar nas redes sociais é fundamental nestes tempos de tanta interação remota associada ao trabalho, estudo e sociabilização. Por isso, fique atento ao que você anda clicando por aí em suas redes sociais”, finaliza Guedes.