segunda-feira, 6 de setembro de 2021

Após acidente com produtos químicos, Sesap reforça cuidados à população e pede que não tome banho no rio, nem na praia de Pirangi do Sul

Foto: Ayrton Freire/Inter TV Cabugi
Após uma carreta tombar e causar vazamento de ácido – principalmente o hidrossulfito de Sódio – no último sábado (4), equipes passaram o fim de semana no recolhimento o material e análise da água do Rio Pium, na região metropolitana de Natal – para onde parte do material teria escoado.

O Instituto de Desenvolvimento Sustentável e Meio Ambiente (Idema) recomendou que, por precaução, a população não tome banho no rio, nem na praia de Pirangi do Sul.

O órgão também solicitou um estudo sobre a situação da água. “Em resultado preliminar, o PH das águas monitoradas estava com índice considerado no limiar aceitável. Entretanto, somente após a análise é que se saberá ao certo as condições do manancial atingido, pois não ficou clara a quantidade relevante de espuma encontrada no local”, informou em nota.

No fim de semana, as autoridades fizeram barreiras de contenção para barrar o escoamento do ácido.

Segundo o Idema, a empresa responsável pela carga acionou a seguradora para a contratação de empresa especializada no recolhimento deste tipo de produto.

A carga estava regular e tinha autorização para o transporte interestadual concedida pelo Ibama. O G1 solicitou informações à assessoria de imprensa do órgão e entrevista com o superintendente local, mas não recebeu retorno até a publicação desta matéria.

A empresa responsável pela carga, Ultra Log Transportadora, também foi procurada na manhã desta segunda-feira (6), mas a gerência informou que apenas um diretor responsável poderia falar sobre o assunto e não estava no local.

Ainda de acordo com o Idema, os resíduos foram coletados com bombas de sucção. “O Idema e as demais instituições municipais e estaduais seguem monitorando o incidente e seus efeitos”. Veja sobre o acidente aqui

SESAP EMITE NOTA

NOTA

Considerando o acidente ocorrido no dia 04 de Setembro do corrente ano onde uma carreta carregada de produtos químicos tombou e ocasionou derramamento de produtos químicos na Estrada de Cajupiranga, a Secretaria de Estado de Saúde Pública do Rio Grande do Norte (SESAP/RN), por meio da Coordenadoria de Vigilância em Saúde (CVS) e das suas Subcoordenadorias – Subcoordenadoria de Vigilância Ambiental (SUVAM) e Subcoordenadoria de Vigilância Epidemiológica (SUVIGE), vem orientar em relação aos cuidados que devem ser adotados face a essa ocorrência.

De acordo com a Nota do Instituto de Desenvolvimento Sustentável e Meio Ambiente – IDEMA, de 05/08/21: NOTA – Carreta tomba e derrama produto químico na Estrada de Cajupiranga, disponível em: https://bityli.com/CjSGD, é recomendado evitar banho nas proximidades do Rio Pium e barracas de Pirangi do Sul.

Além disso, a SESAP/RN recomenda:

À população em geral:

Não entrar em contato direto com a substância;

Evitar contato com a água e solo nas regiões atingidas, até que laudos das análises ambientais comprovem que não há contaminação da água e solo decorrente do material químico proveniente do acidente;

Seguir orientações dos órgãos de meio ambiente sobre atividades recreacionais, como banho e de pesca nas regiões afetadas;

Buscar atendimento médico na unidade de saúde mais próxima no caso de exposição ao produto, mesmo que não haja sintomas;

Contatar o Centro de Assistência Toxicológica do RN – CEATOX por meio dos telefones: 0800 281 7005 ; (84) 98125-1247 e 98803 4140 (whatsapp) em caso de exposição ou aparecimento de sintomas.

Aos profissionais de saúde:

Devem estar alerta aos sinais e sintomas característicos de intoxicação exógena;

Devem notificar os casos suspeitos e confirmados de intoxicação exógena na respectiva ficha do Sistema Nacional de Agravos de Notificação (SINAN). Encaminhar cópia da notificação para o endereço de e-mail do Centro de Informaçõe Estratégicas em Vigilância em Saúde – CIEVS-RN (cievsrn@gmail.com). Telefones (24h) 0800 281-2801, 98102-5948.

O CEATOX/RN informa que os produtos químicos envolvidos no acidente são ácidos e por isso, quando em contato com o corpo, independente da via, podem acarretar sintomas imediatos ou tardios e intoxicações leves, moderadas ou graves.
As recomendações para os cuidados iniciais estão relacionados à:

Descontaminação(limpeza) da parte afetada, lavando apenas com água, sem utilizar pressão;

Se houver ferimentos estes devem ser limpos em primeiro lugar, evitando contaminar as áreas não afetadas;

As roupas contaminadas devem ser removidas, ensacadas duas vezes, lacradas e armazenadas com segurança;

Em caso de ingestão, pode ser oferecida uma pequena quantidade de água ou leite, caso a pessoa não apresente dificuldade para respirar ou engolir;

Buscar o atendimento médico mais próximo, referenciando o contato com o produto;