quarta-feira, 27 de outubro de 2021

Polícia prende caicoense foragido que estuprou e matou criança de 9 anos

Policiais militares da cidade São Miguel/RN, na região oeste do estado, prenderam nesta terça-feira (26), o caicoense, Reginaldo Alves de Lima, que estava foragido desde setembro de 2020, quando saiu para o semiaberto. A pena imposta a ele foi de 41 anos e 3 meses de reclusão pelo crimes de estupro e morte de uma criança de apenas 8 anos, em setembro de 2009.

A polícia recebeu denúncia anônima dando conta do paradeiro de Reginaldo e ao fazer diligências, o encontrou na casa de familiares. Quando foi detido, os policiais o conduziram para o Presídio de Pau dos Ferros (RN), onde fica a disposição da Justiça. Em breve, deve ser recambiado para o Presídio Desembargador Francisco Pereira da Nóbrega, em Caicó.

No dia 31 de março de 2015, Reginaldo Alves de Lima, foi condenado em Júri Popular pela prática dos crimes de estupro de vulnerável e homicídio qualificado. Ele violentou e matou, o garoto, Vitor Manoel dos Santos, de 8 anos de idade.

O outro réu no processo, Milton da Silva Filho, também foi julgado e condenado. Sua pena foi de 23 anos de reclusão, mas, ele não chegou a cumprir o regime fechado por causa da semi-imputabilidade, tese levantada pelos advogados de defesa em seu favor. A sentença está em grau de recurso.

O crime

O pequeno, Vitor Manoel, foi assassinado e teve o corpo jogado nas águas do Rio Seridó, próximo da Ilha de Sant’Ana, por volta das 13 horas, do dia 10 de setembro de 2009.

Participaram do crime, Reginaldo Alves e Milton da Silva Filho. Eles atraíram o garoto para o local, e lá, mantiveram relação sexual com ele e depois o mataram. A informação divulgada na época pela polícia, foi que, Reginaldo consumou o afogamento, enquanto, Milton cuidava para que ninguém se aproximasse. O corpo da criança foi deixado nas águas do Rio, sendo encontrado no mesmo dia do crime.

Os acusados foram presos preventivamente, em flagrante. Posteriormente, foi concedida liberdade provisória a Milton da Silva Filho.
Fonte: Sidney Silva