quinta-feira, 30 de dezembro de 2021

Familiares de pescador que morreu atropelado em Touros fecham estrada em protesto após condutor do carro ser liberado da prisão

Carioca de 36 anos foi liberado após pagar 10 salários mínimos de fiança e perder carteira de habilitação. Familiares fecharam RN-023 pedindo justiça e cobrando segurança das autoridades.
Por g1 RN
Manoel Modesto da Silva morreu após ser atropelado perto de casa em Touros — Foto: Cedida
Familiares e amigos do pescador Manoel Modesto da Silva, de 53 anos, que foi morto atropelado em Touros, no litoral Norte do RN, na segunda-feira passada (27), fizeram um protesto cobrando justiça às autoridades na tarde desta quarta-feira (28).

O manifesto aconteceu porque o turista que dirigia o veículo que atropelou o pescador foi solto na audiência de custódia nesta manhã e poderá responder em liberdade pelo crime. O carioca de 36 anos, que mora na Europa, pagou fiança de 10 salários mínimos e teve suspenso o direito de dirigir.
Fogo foi colocado na RN-023 exatamente no trecho em que o pescador foi morto — Foto: Divulgação
Os familiares e amigos protestaram fechando a RN-023 e colocando fogo exatamente no trecho em que o pescador foi atropelado. As faixas pediam "Justiça por Manoel".

"Nós pedimos justiça pela morte de Manoel e mais segurança, porque nós estamos com medo de estar na rua. Precisamos que as autoridades façam algo para nos proteger nesse sentido", reclamou Eduardo Carlos da Silva, de 40 anos, que é primo de Manoel.

Antes, ao g1, o primo já havia lamentado a liberação do suspeito.

"Causa uma frustração muito grande. Ele matou meu primo, saiu e deixou ele lá jogado, o que não se faz nem com um cachorro, e ainda escondeu o carro. E ai vai embora. A vida que segue, a dele. Mas e a do meu primo, vira só mais uma estatística? A família dele está destruída. Queremos justiça".
Protesto aconteceu nesta tarde na estrada de Touros — Foto: Cedida