quarta-feira, 16 de março de 2022

Em meio a guerra e alta dos combustíveis, BC deve elevar juro ao maior nível em 5 anos, prevê mercado

Comitê de Política Monetária do BC se reúne nesta quarta (16) para fixar taxa básica de juros. Expectativa é de um aumento de 1 ponto percentual, que elevaria a taxa de 10,75% para 11,75% ao ano.
Por Alexandro Martello, g1 — Brasília
Em meio à guerra na Ucrânia e à disparada nos preços dos combustíveis, o Comitê de Política Monetária (Copom) do Banco Central do Brasil se reunirá nesta quarta-feira (16) para definir a taxa básica de juros da economia. A decisão será anunciada após as 18h.

A expectativa da maior parte dos economistas do mercado financeiro é que a Selic seja elevada dos atuais 10,75% para 11,75% ao ano, o maior patamar desde abril de 2017 — quando estava em 12,25% ao ano. Ou seja, em quase cinco anos.

Entretanto, alguns analistas apostam que a taxa possa subir ainda mais nesta quarta-feira, ultrapassando o patamar de 12% ao ano.

Se confirmado, esse será o nono aumento seguido na taxa básica da economia. Ao mesmo tempo, também representará um ano do atual ciclo de alta dos juros. O processo de elevação da taxa Selic teve início em março do ano passado.

O mercado financeiro espera novas altas na taxa Selic nos próximos meses. A previsão é de que os juros básicos subam para 12,5% ao ano no começo de maio e para 12,75% ao ano em meados de junho — patamar no qual terminaria 2022.