domingo, 13 de março de 2022

Governo do RN e policiais civis chegam a acordo e garantem direitos das categorias

Após 45 dias de negociações, entendimento é selado em reunião da governadora Fátima Bezerra com representantes do Sinpol, Adepol e Assesp.
Por g1 RN — Natal
Governadora do RN se reúne com representantes da Polícia Civil — Foto: Sandro Menezes
O governo do Rio Grande do Norte e representantes do Sindicato dos Policiais Civis (Sinpol) e das associações de Delegados e Escrivães (Adepol e Assesp) selaram acordo sobre o adicional por tempo de serviço (ADTS). As negociações duraram 45 dias.

Na oportunidade, foi aprovada a minuta do projeto de lei a ser encaminhado para a Assembleia Legislativa. O governo manteve a estrutura atual das categorias que está na Lei complementar 670/2019, o que garante a preservação dos direitos das categorias.

A governadora Fátima Bezerra participou da reunião na sexta-feira (11) e ressaltou o esforço das partes envolvidas para se "chegar a um entendimento, resguardando o princípio que não abrimos mão, de não trilhar nenhum caminho que não fosse zelando, preservando direitos históricos conquistados pelas categorias".

A presidente do Sinpol, Edilza Faustino de Lima, destacou que o texto da minuta "muda a situação de risco de perda de direitos".

"Com o texto finalizado e consensualizado, serão dados os encaminhamentos para envio à Assembleia Legislativa, conforme as tratativas com o Gabinete Civil", explicou a delegada-geral da Polícia Civil, Ana Cláudia.

As categorias da Polícia Civil no RN lutavam contra a possível perda de até 35% na remuneração devido à ação de inconstitucionalidade que o Ministério Público Estadual impetrou contra o pagamento do adicional por tempo de serviço. Os policiais chegaram a paralisar as atividades no estado - a greve foi encerrada no último dia 10.

"Durante todo o processo de negociação, o governo do RN reafirmou a defesa para que não houvesse qualquer perda de rendimentos aos trabalhadores e trabalhadoras", afirmou o controlador Pedro Lopes.