terça-feira, 26 de abril de 2022

Arma de Milton Ribeiro, ex-ministro da Educação, dispara acidentalmente em aeroporto de Brasília

Em depoimento, Ribeiro disse que o disparo acidental aconteceu no momento em que em foi separar a arma do carregador, dentro de sua pasta de documentos
CNN - Uma arma de fogo do ex-ministro da Educação Milton Ribeiro disparou, acidentalmente, na tarde desta segunda-feira (25), no Aeroporto de Brasília. A informação foi antecipada pela colunista Bela Megale, do jornal ‘O Globo’, e confirmada pela CNN. Logo após o episódio, Ribeiro foi levado à Superintendência da Polícia Federal do Distrito Federal para prestar esclarecimentos.

No depoimento ao qual a CNN teve acesso, o ex-ministro da Educação disse que o disparo acidental aconteceu no momento em que em foi separar a arma do carregador, dentro de sua pasta de documentos. Ribeiro afirmou ter “medo de expor sua arma de fogo publicamente no balcão” da companhia.

Ribeiro afirmou que, “como já havia feito o ‘despacho de arma de fogo’ pela internet se dirigiu diretamente ao balcão da companhia aérea Latam; que ao abrir sua pasta de documentos pegou a sua arma para separá-la do carregador, dentro da própria pasta, momento em que ocorreu o disparo acidental”. De acordo com o ex-ministro, o episódio aconteceu por volta das 17h, e que ele embarcaria em um voo com partida às 19h50 para São Paulo.

Ribeiro ainda disse que, como “havia outros objetos dentro da pasta, o local ficou pequeno para manusear sua arma”. “O declarante, com medo de expor sua arma de fogo publicamente no balcão, tentou desmuniciá-la dentro da pasta, ocasião em que ocorreu o disparo acidental”, diz o documento.

O ex-ministro também relatou à Polícia Federal que “a bala atravessou o coldre e sua pasta, se espalhando pelo chão”. Segundo Ribeiro, a única pessoa por perto no momento do incidente era a atendente da Latam e que, após o disparo acidental, ele “próprio indagou as pessoas que foram ao local do incidente se alguém havia sido atingido pelos estilhaços” e que “não apareceu qualquer vítima”.