segunda-feira, 18 de abril de 2022

Polícia prende um dos suspeitos de envolvimento na tentativa de assalto a empresa de valores, em Guarapuava

Segundo a Polícia Civil, suspeito detido não participou da ação, mas ajudou grupo com logística, alugou imóveis e deu outros suportes para os bandidos.
Por g1 PR e RPC Curitiba
Um dos suspeitos de envolvimento na tentativa de assalto a uma empresa de valores, em Guarapuava, foi preso na tarde desta segunda-feira (18), segundo a Polícia Civil.

Conforme a polícia, o suspeito detido, de 25 anos, não participou da ação, mas ajudou a quadrilha de 30 criminosos com a parte logística de fornecimento de armas.

O suspeito é do próprio município e foi encaminhado à Delegacia de Guarapuava, que investiga o caso. O celular dele foi recolhido para a investigação.

O caso está sendo apurado pela Polícia Civil, e o material coletado até o momento será cruzado com impressões digitais nos bancos de dados da própria corporação.
O ataque aconteceu entre o fim da noite de domingo (17) e começo da madrugada de segunda-feira (18).
Vídeo mostra 'cordão humano' feito com reféns durante ataque à empresa em Guarapuava

De acordo com a Secretaria de Estado da Segurança Pública (Sesp), os assaltantes fugiram sem levar dinheiro.

Segundo o relato de testemunhas, os suspeitos fizeram moradores reféns e fecharam os acessos da cidade.

A secretaria informou ainda que doze veículos usados pelos bandidos foram localizados. Desse total, quatro deles foram queimados e usados como barreiras pelos criminosos.

Além disso, foram apreendidos dez armas de fogo, um carregador, munições, capacetes, coletes balísticos, balaclavas, facas, celulares e lanternas, um par de placas de veículo e R$ 1,4 mil em espécie.

A Polícia Civil informou ainda que está realizando investigações de alta complexidade com o cruzamento de informações do setor de inteligência.

Segundo a polícia, equipes de operações especiais estão nas ruas na busca pelos criminosos, acessando câmeras de segurança e coletando relatos de moradores.

Papiloscopistas também estão trabalhando na apuração de vestígios de impressões digitais em objetos, veículos e locais de crime.

A Polícia Militar (PM) informou que, por segurança, optou por não entrar em confronto armado com os assaltantes dentro do perímetro urbano de Guarapuava. Entretanto, houve troca de tiros na área rural.