terça-feira, 12 de abril de 2022

População e autoridades chamam atenção para urgência de cirurgias oncológicas no Oeste

A Organização Mundial de Saúde (OMS) considera o câncer uma doença de emergência e, por isso, a indicação é que seja tratatada o quanto antes. De acordo com pesquisas sobre o assunto, a cada quatro semanas de atraso no tratamento, o risco de morte aumenta em até 13%.

No entanto, a incidência do câncer na região Oeste do Estado tem uma alta demanda e uma baixa oferta de serviços para o tratamento dos pacientes. Isso foi o que levou o deputado Dr. Bernanrdo (PSDB) a propor uma audiência pública promovida pela Assembleia Legislativa nesta terça-feira (11), na Câmara Municipal de Mossoró.

Depois de duas horas e meia de exposições e debates, a conclusão a que se chegou é que será elaborado um documento a ser encaminhado aos órgãos responsáveis pelo tratamento oncológicio, solicitando uma solução no tocante a agilidade das cirurgias de câncer, pois os pacientes não podem esperar.

“Essa audiência não foi para procurar culpa de ninguém. Com base no que foi discutido vamos fazer um diagnóstico para que seja resolvido o problema das cirurgias oncológicas, uma responsabilidade da União, Estado e Municípios. Somos procurados quase que diariamente pela população para falar sobre a dificuldade para conseguir cirurgia oncológicas”, destacou o deputado Dr. Bernardo, propositor da Audiência.

Atualmente a fila para as cirurgias de câncer na Região tem 237 pacientes, sendo 60 de Mossoró e os demais de 64 municípios.

Presidida pelo deputado propositor, a Mesa dos trabalhos contou com a participação da secretária adjunta de Saúde do Estado, Lyane Ramalho; secretária de saúde de Mossoró, Morgana Dantas; presidente da Liga Missoroense Contra o Câncer, Paulo Henrique; representante da Unidade Regional de Saúde Pública, Emiliana Cavalcanti; representante da UERN, Claudia Leite; e representante da UFERSA, Valdemir Ferreira.

Depois da exposição dos integrantes da Mesa, falaram a vereadora Larissa Rosado (União Brasil), e os vereadores Raerio Araújo ( SDD), Cabo Tony Fernandes(SDD), Lawrence Amorim(SDD), presidente da Câmara; Genilson Alves ( PROS); Lamarque Oliveira (PSC); Francico Carlos(PP); Omar Nogueira (Patriota) e Lucas das Malhas (MDB).

Todos eles elogiaram a iniciativa da Audiência Pública e cobraram a participação da bancada federal e também criticaram o subfinanciamento do SUS, que há 20 anos não tem aumento nas tabelas de repasse para o pagamento dos tratamentos de saúde.