sábado, 25 de abril de 2020

Sem Moro, governo avalia desmembrar Ministério da Justiça e Segurança Pública

Presidente já havia cogitado a separação das pastas em 2019, mas ex-ministro que ameaçou sair do governo, pois perderia o controle sobre a PF e outras polícias.
G1 - Após a saída de Sergio Moro do governo, o presidente Jair Bolsonaro avalia cenários para o futuro do Ministério da Justiça e da Segurança Pública.

Uma das possibilidades é desmembrar a pasta em duas: uma da Justiça e outra, da Segurança Pública.

Esse desenho não é novidade: existia no governo Temer. Bolsonaro unificou os dois ministérios exatamente para dar mais poder a Moro na Justiça, com o comando da Polícia Federal.

Durante o auge da crise entre Moro e Bolsonaro, em 2019, o presidente voltou a cogitar a separação das pastas, em um movimento que esvaziaria Moro ainda no cargo, pois a Polícia Federal e outras polícias passariam para a Segurança Pública.

Moro, porém, reagiu, e deixou claro que sairia do governo se não tivesse as polícias sob seu comando.

Nas conversas a respeito do novo desenho, agora, os nomes mencionados nos bastidores são os dos ministros Jorge Oliveira (Secretaria-Geral da Presidência) ou André Mendonça (Advocacia-Geral da União) para a Justiça, e o do ex-deputado federal Alberto Fraga, para a Segurança Pública.

Fraga, assim como Jorge Oliveira, é amigo pessoal do presidente Bolsonaro. No caso de Jorge Oliveira, sua relação pessoal se estende aos filhos do presidente.