quinta-feira, 18 de fevereiro de 2021

Covid-19: Comitê científico do RN recomenda suspensão de aulas e fechamento de bares e restaurantes depois das 22h

Foto: Ilustração
O comitê científico do Rio Grande do Norte emitiu nesta quinta-feira (18) uma nova recomendação ao governo do Estado para o enfrentamento da Covid-19 em território potiguar. Entre as recomendações, estão a suspensão da aulas presenciais nas escolas privadas por pelo menos 14 dias e o fechamento de bares e restaurantes depois das 22h também, inicialmente, por duas semanas.

O Governo do Estado ainda avalia as recomendações enviadas pelo comitê.

No documento, o comitê também cita que devem ser feitas barreiras sanitárias com os estados da Paraíba e Ceará, bem como nos portos e aeroportos, “assim como implementação de barreiras sanitárias e intensificação do monitoramento e rastreio nos municípios sabidamente turísticos do estado do RN”. A recomendação se dá também pela circulação das novas variantes do coronavírus no país.

Também foi recomendada a suspensão das atividades ambulatoriais de clínicas e consultórios e serviços públicos de rotina que não comprometam o cuidado continuado ao paciente e de cirurgias eletivas que demandem uso de leitos críticos na Região Metropolitana.

Outra recomendação é proibir eventos em toda a orla do RN por 14 dias e fortalecer os cuidados preventivos nas academias quanto ao uso de máscaras e distanciamento social, inclusive com aplicação de multa. (Veja todas as recomendações no fim).

Considerações

Para as decisões, o comitê considerou que os “períodos festivos e de feriado prolongados foram provocadores de grandes aglomerações, que tiveram reflexo no aumento do número de casos no fim de dezembro e início de janeiro e que se intensificou nos dias iniciais de fevereiro”.

O documento cita ainda as aglomerações provocadas durante o período de carnaval, que ” terão reflexo provável nas próximas semanas”.

Para a decisão de fechamento dos bares e restaurantes depois das 22h, o comitê considerou que as “interações” nesses locais “não conseguem cumprir com as medidas do protocolo de biossegurança e distanciamento social”.

Além disso, os especialistas alertaram para o número de casos na Região Metropolitana, que atingiu um platô que se mantém alto por um período prolongado. Além disso, consideraram que a taxa de ocupação de leitos crítico está “acima de 80%, com 3 unidades hospitalares de referência já com 100% de ocupação, alertando para um possível colapso de leitos na região”.

O comitê científico também entendeu que há uma preocupação com a chegada de novas variantes do coronavírus que já estão em circulação em estados vizinhos e “com possível circulação no Rio Grande do Norte, apesar de ainda não detectado”;

Para a suspensão das atividades escolares presenciais, o comitê entende que os jovens, “muitas vezes assintomáticos, são responsáveis pela transmissão domiciliar a idosos susceptíveis.

Veja as recomendações
Suspensão das atividades presenciais de bares e restaurantes em todo RN após 22h por 14 dias, devendo a medida ser reavaliada após esse prazo;
Suspensão das aulas presenciais das escolas privadas por 14 dias, devendo a medida ser reavaliada ao final desse período;
Criação de serviço de denúncia para pais e alunos de escolas, sejam públicas ou privadas, fazerem denúncia sobre ocorrência de casos de sintomáticos respiratórios que não tenham sido devidamente afastados do convívio, assim como suas turmas escolares não tenham sido submetidas ao protocolo orientado na Nota Informativa número 03/2021 – SESAP/SUVISA;
Adiamento do início das aulas das escolas públicas do estado por 14 dias, ao fim do qual deverá ser reavaliada a necessidade de novo adiamento;
Fortalecer os cuidados preventivos nas academias no que concerne ao uso de máscaras e distanciamento social inclusive com aplicação de multa para aqueles estabelecimentos que forem flagrados infringindo as regras.
Estabelecimento de barreiras sanitárias com os estados da Paraíba e Ceará, bem como nos portos e aeroportos, assim como implementação de barreiras sanitárias e intensificação do monitoramento e rastreio nos municípios sabidamente turísticos do estado do RN;
Busca ativa de casos e contatos, bem como monitoramento dos casos ativos pela Atenção Primária dos municípios;
Aplicar sanções previstas em lei a estabelecimentos de saúde públicos e privados, como clínicas, hospitais e laboratórios, que deixem de notificar os casos aos serviços de informação e de controle de leitos;
Ampliar a vigilância genômica no Rio Grande do Norte;
Suspender as atividades ambulatoriais de clínicas e consultórios e serviços públicos de rotina que não comprometam o cuidado continuado ao paciente;
Suspender cirurgias eletivas que demandem uso de leitos críticos na Região Metropolitana;
Proibir eventos em toda a orla do RN por 14 dias;
Abrir leitos de UTI covid-19 no Hospital Universitário Onofre Lopes (HUOL), os quais deverão ser mantidos enquanto a Taxa de Ocupação do RN estiver acima de 60%;
Ampliar a fiscalização do estado (polícia militar) nos finais de semana em bares e na orla potiguar, especialmente da região metropolitana.